Os hormônios bioidênticos são aqueles que possuem estrutura química idêntica aos hormônios presentes naturalmente no organismo. Em doses fisiológicas, a possibilidade de efeitos colaterais na reposição hormonal bioidêntica é considerada razoavelmente menor quando comparada a terapia de reposição sintética, por hormônios industrializados diferentes dos hormônios produzidos por nós.

Melhora na qualidade de vida no envelhecimento. É o principal benefício que se obtém com a reposição hormonal bioidêntica, lembrando que as pessoas passam 1/3 de sua vida nessa fase. O tratamento com hormônios bioidênticos, feito de maneira segura, viável e individualizada, colabora para que o terço final da vida seja tão ativo e saudável quanto o início.

Após os 50 anos a vida não acaba e não devemos nos dobrar frente ao declínio hormonal, com as alternativas que temos hoje. O alívio dos sintomas indesejáveis, a melhora da libido, do sono, do humor, da disposição, da disfunção erétil, evitar-se a depressão, enfim, da qualidade de vida e bem-estar são os objetivos. Uma vida sadia e regrada é fundamental e cabe ao médico esclarecer e orientar ao paciente para que isto aconteça de maneira satisfatória e segura. Alguns aspectos importantes devem ser associados a terapia de reposição hormonal bioidêntica, para garantir um envelhecimento ativo e sadio, são eles:

 

Antioxidantes:

O envelhecimento está associado ao aumento do estresse oxidativo, e este por sua vez, desregula a função celular normal. O estresse oxidativo é a principal causa de doenças degenerativas, cardiovasculares, queda da cognição e da imunidade.

Os antioxidantes são extremamente importantes como agentes na prevenção dessas patologias. A suplementação de antioxidantes proporciona um resultado satisfatório e desejado na terapia de reposição hormonal bioidêntica para uma melhor qualidade de vida.

Exemplos de antioxidantes: Vitamina E, Vitamina C, Coenzima Q10, Betacaroteno.

 

Exercícios físicos:

O sedentarismo é um grande inimigo para quem quer envelhecer com qualidade de vida.

As doenças cardiorrespiratórias estatisticamente caem pela metade nas pessoas que praticam esportes com regularidade. Também há melhora nas doenças degenerativas e na circulação sanguínea.

O gasto energético que ocorre durante a pratica de exercícios físicos diminui a propensão à obesidade. Sabidamente, com a obesidade vem as comorbidades paralelas, como pressão alta, colesterol e triglicérides elevado, síndrome metabólica e diabetes. Associando os exercícios físicos com alimentação adequada, aumenta-se muito o bem estar e diminui-se a probabilidade de ou a gravidade dessas comorbidades.

 

Nutrição e dieta:

Para uma boa qualidade de vida, é necessário uma dieta balanceada com todos os nutrientes necessário.

Deve-se controlar a quantidade de calorias para que se consiga um bom equilíbrio entre o gasto e a ingestão energética.

Os nutricionistas podem te ajudar na indicação da dieta ideal. Caso ainda a ingestão de nutrientes não for alcançada, por qualquer razão, a suplementação pode complementar o restante.

Deve-se evitar o uso excessivo do sal, sem, contudo, deixar de repor os sais minerais e oligoelementos, especialmente após os exercícios físicos. Desta maneira, o cálcio e o magnésio não podem ser esquecidos, pela sua importância no metabolismo ósseo.

A hidratação é extremamente importante para se manter o tônus e para o bom funcionamento dos rins.

As fibras solúveis e carboidratos são importantes para a regulação dos intestinos e equilíbrio energético.

As vitaminas são adjuvantes imprescindíveis. As vitaminas B6, B12, D e ácido fólico são importantes na redução da osteoporose. Assim a alimentação deve ser composta de frutas, verduras e legumes, fontes naturais de fibras e vitaminas.

 

Modo de vida e estresse:

O modo de vida está diretamente ligado à qualidade de vida de cada um. Quanto mais tranquila e regrada for a vida, melhor será o usufruto.

A ocupação em algum trabalho, artesanal ou mental, é importante para o estímulo neuronal e consequente manutenção da cognição. Recomenda-se para os aposentados, que assumam trabalhos voluntários, tão necessários hoje em dia, para que se mantenham ocupados e socialmente integrados. Isto sabidamente aumenta a longevidade sadia.

A atividade profissional mantém os pacientes em dia com os fatos, as notícias, conectados com a modernidade e com os colegas de trabalho. Isto socializa as pessoas e as faz sentirem-se úteis e produtivas por mais tempo. Dessa maneira, reduzem-se os sintomas depressivos, tão comuns na terceira idade.

Por outro lado, trabalhar pode gerar estresse e com isto desencadear todos os efeitos nocivos. O estresse também pode ser causado pela família. Não importa a origem do estresse, ele desgasta o organismo, desde o sistema nervoso central até o físico. Uma das consequências é a perda da libido, com isto a qualidade de vida é prejudicada.

Ainda, os maus hábitos como o alcoolismo e tabagismo, com seus efeitos deletérios sobre o organismo, contaminam os órgãos com substâncias oxidantes, prejudicando a saúde e diminuindo a sobrevida. Sem falar nas doenças que provocam.

O lazer é crucial, seja em curtos períodos para aliviar momentaneamente o estresse, seja melhor ainda em períodos mais longos, como os de férias. Sair da rotina faz com que o retorno à mesma se faça de maneira mais fácil e criativa.

 

Estética e aparência:

Sentir-se bem, gostar-se, ser elegante, alegre e charmoso são elementos básicos para evitar a depressão. Invista em perfumes, cosméticos, maquiagem, roupas elegantes. Em fazer coisas que te satisfaça e te faça sorrir mais.

Existem trabalhos publicados no Texas, onde durante alguns anos mulheres foram tratadas com modulação hormonal bioidêntica, os resultados demonstram que a qualidade de vida melhorou, pois os sintomas da menopausa diminuíram ou foram totalmente solucionados. Elas renovaram seu sentido de esperança otimista para o futuro e sentiram-se emocionalmente, fisicamente e cognitivamente equilibradas e com aparência exuberante.

Já os homens jovens, que hoje andam preocupados com sua estética, futuramente estarão também nos consultórios médicos para tratamentos antienvelhecimento, novamente, com a reposição hormonal bioidêntica, de testosterona por exemplo, esses pacientes terão menor probabilidade de desenvolvimento de quadros depressivos, e terão melhor libido e desempenho sexual.

O bem estar será alcançado!

*Adaptado do livro Terapia de Modulação Hormonal Bioidêntica (TMHB), escrito por um dos farmacêuticos da Medicativa, Dr. Natan Levy